Computadores agora podem fazer clonagem da caligrafia das pessoas

Computadores agora podem fazer clonagem da caligrafia das pessoas

Pesquisadores da University College London criaram um algoritmo, que ao pegar algo escrito por uma pessoa, ele consegue imitar com uma precisão absurda, como se a pessoa tivesse escrito aquilo mesmo.

Isso não é apenas a criação de uma “fonte personalizada”, mas, realmente, de um algoritmo no computador que vê as características da escrita de alguém e consegue copiá-la, escrevendo novas frases.

O pesquisador Tom Haines afirma que as pessoas não conseguem diferenciar qual a letra verdadeira e qual é a feita pelo computador. “Nós estamos muito orgulhosos desse estudo, que deu às pessoas algumas frases para escrever para que o computador analisasse e depois fizesse a cópia. Elas não conseguiram descobrir qual era a falsa”, disse Haines.

A nova máquina chamada “My Text In Your Handwriting”, algo como “meu texto na sua escrita”, aprende como funciona o estilo de escrita da pessoa, vendo em detalhe como cada letra é reproduzida. Isso permite que o computador use a caligrafia da pessoa de uma maneira surpreendente para escrever uma sentença, parágrafo ou até um documento inteiro.

O computador não é apenas capaz de reproduzir a caligrafia de pessoas vivas, mas também de pessoas que já morreram. A equipe da UCL já recriou a letra de Sir Arthur Conan Doyle, Frida Kahlo e Abraham Lincoln.

A precisão da caligrafia está em todas as características da escrita: da forma de cada letra, o espaço entre elas e até mesmo a pontuação, mas para isso, é importante entender como cada caligrafia funciona, pois, de acordo com os pesquisadores, a “mágica” dessa máquina está na maneira randômica que as letras são colocadas, senão o cérebro humano consegue perceber os padrões e detecta qual é a caligrafia computadorizada.

Consegue perceber a diferença na caligrafia?